News
Loading...

O sucesso e a crescente onda de mulheres no Sertanejo Universitário

Por colaborador: Erlanio Lima

Que o sertanejo sempre foi um gênero mais voltado para os homens isso não é nenhuma novidade, grandes nomes como Zezé Di Camargo & Luciano, Chitãozinho & Xororó, Daniel e a antiga dupla Leandro e Leonardo representam os clássicos do sertanejo brasileiro. Poucas mulheres se arriscaram nesse gênero, nomes como Roberta Miranda e Paula Fernandes são um dos poucos nomes femininos que possuem mais tempo de carreira e que ainda estão presentes no cenário musical, ambas tiveram que batalhar muito para conseguirem seu espaço ao sol.

De uns tempos pra cá esse cenário tão habitado por homens tem mudado, principalmente por conta do sertanejo universitário que é uma mistura do sertanejo de raiz, arrocha e bachata, mas por ter uma linguagem atual adquiriu o termo “universitário”. Até então, estávamos acostumados com nomes como Jorge & Mateus, Wesley Safadão, Luan Santana, Marcos & Belluti, Gustavo Lima, Henrique e Juliano, entre outros. Mas atualmente nas rádios, shows e grandes festivais, nomes cogitados e que animam a multidão mudaram um pouco, agora estamos ouvindo falar de Maiara e Maraísa, Simone & Simaria, Naiara Azevedo e Marilia Mendonça que representam o atual sertanejo universitário, onde trouxeram uma mudança significativa ao gênero.

Essa onda de mulheres no sertanejo é recente, algumas delas são compositoras, e possuem suas composições cantadas por nomes masculinos, mas agora elas vieram de vez para o cenário e trazer um pouco do lado feminino ao gênero. As letras não se diferenciam muito das dos homens, porém destacam e enaltecem as mulheres, onde mostram que elas também se divertem, choram, traem e possuem casos não resolvidos em suas vidas. A “sofrência” apelido dado para o gênero por tratar sobre romance, traição e amores não correspondidos é a marca de sucesso nas letras delas, confira um pouco da história de cada uma.

MAIARA E MARAÍSA

Foto: Divulgação

As gêmeas de 28 anos, nascidas em São José dos Quatro Marcos (MT), cantam desde pequenas, mas foi à composição que as fizeram serem notadas por nomes como Cristiano Araújo e Jorge & Mateus, que gravaram respectivamente as canções, “Prisão sem grades” e “Caso Indefinido”.

As meninas já disseram que no mundo do sertanejo, era difícil encontrar canções que falassem da realidade feminina em suas letras, e por esse motivo, resolveram escrever sobre suas histórias. Sucessos como “Medo Bobo” e “No Dia do Seu Casamento” são composições suas e fazem parte do seu repertório, mas uma exceção que retrata um dos maiores sucessos da dupla é a canção “10%”, escrita por Gabriel Agra e Danilo Dávilla.


MARÍLIA MENDONÇA

Foto: Gil Alves/Divulgação

Com apenas 21 anos, Marília é considerada a mais nova entre todas do gênero, e possui apenas um ano de carreira. Nascida em Cristianópolis (GO), a cantora começou a compor suas músicas aos 12, e já escreveu para grandes nomes como Joelma, Lucas Lucco, Jorge & Mateus, Wesley Safadão, Cristiano Araújo e João Neto & Frederico. Em 2015 a cantora gravou seu primeiro CD e DVD de autorias próprias pela gravadora Som Livre.

Um dos seus maiores sucessos “Infiel”, tem mais de 180 milhões de visualizações no YouTube, que é uma história real inspirada num caso de traição de uma tia da cantora.


SIMONE E SIMARIA

Foto: Divulgação

Simone & Simaria, nasceram em Uibaí (BA). Por problemas financeiros e por conta da morte do pai, elas se mudaram para Mato Grosso e São Paulo, onde Simaria começou a trabalhar com Frank Aguiar. Em consequência disso ambas trabalharam juntas no forró e fizeram grande sucesso no Nordeste. Após fazerem segmentos de 20 minutos nos shows com o sertanejo, vendo que o sucesso começou a atingir outras partes do país, elas resolveram se arriscar de vez com o trabalho “Bar das Coleguinhas”.

“Meu Violão e Nosso Cachorro”, um dos maiores sucessos da dupla, a canção foi composta por Simaria e Nivardo Paz.


NAIARA AZEVEDO

Foto: Divulgação

Naiara Azevedo nasceu em Farol (PR), cantora desde criança, mas saiu da casa dos pais para cursar Estética e Cosmetologia, aonde chegou a fazer pós-graduação. O sucesso de Naiara começou em 2011, após gravar um vídeo resposta para a canção “Sou Foda” do grupo de funk Avassaladores, e que também foi regravada por diversos artistas do forró e sertanejo. Naiara percebeu o quanto a canção inferiorizava as mulheres e gravou a canção “Coitado”, que faz inversão da música “Sou Foda”, onde Naiara prioriza e fortalece o ponto de vista feminino.

As canções da cantora são em grande parte de sua autoria, onde ela fala de suas decepções e traições que sofreu em seus relacionamentos. O seu maior sucesso “50 Reais”, composta em parceria com a dupla Maiara e Maraísa, fala sobre a traição de um ex-namorado de Naiara. Usando de suas dores para compor seus hits, Naiara também é considerada uma das cantoras mais feministas no meio sertanejo, por sempre ter em suas canções letras que enaltecem o poder feminino.

Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário