News
Loading...

Crítica: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada

Por Erlanio Lima

Desde que o livro "Harry Potter e as Relíquias da Morte" foi lançado em 2007, os fãs estavam carentes por alguma história que envolvesse o bruxinho mais famoso do mundo.

                Crédito: Divulgação

Em 2015, J.K Rowling confirmou a peça de teatro "Harry Potter and The Cursed Child" (Harry Potter e a Criança Amaldiçoada), que seria a oitava história de Harry Potter e a primeira a chegar aos palcos. Escrito por J.K Rowling, John Tiffany e Jack Thorne, contam a história 19 anos depois de "Relíquias da Morte". A peça teve estreia mundial no West End de Londres em 30 de julho deste ano. A história é dividida em duas partes e tem sido bem aclamada pela crítica, por conta dos efeitos visuais nos palcos e da atuação dos atores, consequentemente a peça está com datas esgotadas até o final de 2017.

Sabendo-se que a peça não sairá em turnê pelo mundo, Rowling em parceria com os outros escritores, resolveram presentear os fãs do mundo todo, lançando o roteiro de ensaio em livro para que todos conheçam a história por trás da peça. O livro foi lançado em 31 de julho com o nome "Harry Potter and the Cursed Child Parts I & II" em comemoração à data de aniversário do Harry na saga e de Rowling.

A versão brasileira foi lançada no dia 31 de Outubro, onde é comemorado o #PotterDay, que é o dia em que se consagra a amizade entre Harry, Rony e Hermione quando eles enfrentam um trasgo no primeiro livro "A Pedra Filosofal".

Sendo um fã que cresceu lendo e assistindo aos filmes, logo no dia do lançamento corri para comprar minha versão e em dois dias finalizei a leitura da obra, e darei um breve resumo da história e uma crítica sem muitos spoilers que possam prejudicar a leitura de quem ainda não possui o roteiro em mãos.

Resumo da história (contém spoilers):

A peça se inicia na cena em que o livro Relíquias da Morte termina, na estação de trem King's Cross e com Harry levando seus filhos Alvo e Tiago, para embarcarem no Expresso de Hogwarts e Gina com a filha pequena Lilian nos braços.

A história é baseada nas viagens no tempo, quando um vira-tempo é encontrado por Harry, que agora trabalha como Diretor de Execução das Leis da Magia, e esse objeto é roubado da sala da Hermione, que agora é Ministra da Magia. Mas vamos voltar um pouco no tempo, pois como sabemos todos os vira-tempos que existiam, foram destruídos na batalha do Ministério (Harry Potter e a Ordem da Fênix), porém Rowling resolveu ressurgir esse objeto e usá-lo como a peça-chave da história. Esse vira-tempo é diferente do qual a Hermione usou em "Prisioneiro de Azkaban", por conta disso é onde toda a confusão se concentra.

Harry tem um relacionamento difícil com seu filho Alvo, e com isso ele se torna a estrela da história. Alvo é diferente do pai em muitos aspectos, ele também é o melhor amigo de Escórpio Malfoy (filho de Draco Malfoy e Astoria) e pasmem, ambos estão na casa de Sonserina. Com o intuito de consertarem uma tragédia do passado, Alvo e Escórpio retornam no tempo, não só uma, como três vezes, e sabemos que mexer no tempo sempre tem suas consequências.

Pontos Positivos:

É particularmente emocionante e nostálgico ler uma nova história sobre Harry e seus amigos, mesmo que eles não sejam o foco da peça. Novos personagens e antigos reacendem a chama do universo mágico dentro de nós.

O retorno de dois grandes personagens da saga foi o ápice da leitura, pois ambos são personagens queridos e muito importantes dentro da história.

Mesmo sendo uma nova história, a trama não perdeu a linha sobre os ensinamentos e lições de vida, a história está focada na amizade entre Alvo e Escórpio. Uma amizade forte, bonita e verdadeira, pois quando chega ao final do roteiro, você tem curiosidade em saber o que os dois aprontam nos outros anos, já que a peça se concentra no quarto ano deles em Hogwarts.

O roteiro também possui aqueles pontos de humor que todos conhecemos, leves e inocentes. As referências ao mundo mágico, lugares e feitiços são de encher os nossos olhos.

Preparem-se para o final, pois ele possui uma das cenas mais lindas e emocionantes que eu li em toda a saga. É tocante e profunda, inimaginável a alguns olhos, mas nos meus se formaram lágrimas de tamanha emoção.

Particularmente ver o lado mais vulnerável e frágil de um personagem conhecido, me chamou bastante a atenção. Deu bastante profundidade em sua história dentro de Hogwarts e tudo o que passou, já era um dos meus personagens favoritos (me apedrejem), e depois de ler esse lado mais maduro, acabei gostando muito mais.

Pontos negativos:

Nem tudo poderia ser perfeito, é uma nova história, escrita por 3 pessoas, consequentemente algumas coisas não iriam me agradar.

Começando pelos dois grandes personagens que citei há pouco, um deles continuou com a sua essência e personalidade, agora o outro eu o senti meio perdido, não conseguia achar a personalidade dele por ali naquelas linhas, sim, adorei que ele tenha aparecido na história, mas um dos lados que eu mais gostava dele simplesmente não existe. Tudo bem que eles retornaram no tempo, e talvez ali naquele momento isso o tenha mudado, mas mesmo assim, acredito que isso não seria o suficiente pra mudá-lo tanto assim.

Fica claro que algumas cenas não foram escritas por Rowling, e talvez por conta disso dê a impressão de que a história é uma "fan-fiction". Fanfic's são histórias escritas por fãs, desde teorias de conspiração sobre a trama ou apenas imaginação bizarra para retratar seus personagens sobre seu ponto de vista. E infelizmente nos diálogos isso é bem nítido, tanto com alguns personagens e algumas falas forçadas.

No final da trama é revelado um grande segredo, meio perturbador, e consequentemente bem forçado e desnecessário. Sei que muitos fãs também não gostaram da tal "bomba" que é revelada nas últimas páginas, e nem na teoria absurda que ela foi baseada em outro personagem, se torna previsível no decorrer da peça, mas achei desconfortável e um ponto negativo muito grande pra história.

Considerações finais:

Em menos de cinco dias já estou lendo o livro pela segunda vez, gostei bastante do roteiro e provavelmente será a última história que teremos do trio que tanto amamos. Sim, eu sei que está para lançar "Animais Fantásticos e Onde Habitam" nos cinemas, mas temos que ter o discernimento de entender que é uma história que se passa bem antes do trio se reunir, inclusive bem antes do surgimento de Lord Voldemort. Existe a possibilidade de aparecem nos próximos filmes? Sim, mas acredito que será algo breve e nem está confirmado, mas espero estar enganado. 

Voltando ao roteiro, ao comprar seu livro e o abrir pra ler, tenha em mente que ele é um roteiro para teatro, pois só veremos diálogos e mais diálogos, não vai ter uma história detalhada, sendo assim, não imagine um filme para essa história pra você não se frustrar. Ao ler imagine as cenas se passando num palco de teatro, elas terão mais coesão, e isso não atrapalhará a sua leitura, é algo novo, diferente e por incrível que pareça me despertou muito a atenção e o interesse.

Mesmo com seus pontos negativos eu me apeguei a história, a lição de moral e seus ensinamentos trazem o selo Harry Potter e J.K Rowling, não é uma história boba, ela tem uma direção, se você não gostar da trama tente enxergar ao menos essas lições que podemos tirar dessa história.

Ter o trio novamente junto é nostálgico e emocionante, mesmo que não tenhamos mais nada sobre eles, quem sabe lá na frente não teremos mais histórias sobre Alvo, Escórpio, Rosa, Hugo, Tiago e Lilian? A esperança é a última que morre.

Nota: 8
Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário