News
Loading...

Entrevista Exclusiva: 5 perguntas para Arthur Ienzura!

Por Kah Motoda

Além de se emocionar e cantar muito, quem assiste "O Musical Mamonas" corre o risco de sair suspirando pelos atores. Um deles é o ator Arthur Ienzura, que interpreta Sérgio Reoli, baterista do Mamonas Assassinas. Dono de um corpo que, definitivamente, chama a atenção, e uma voz de arrepiar, o carioca de 26 anos tem dado o que falar, seja no palco, com uma atuação excelente, ou fora dele, esbanjando simpatia.

Foto: Divulgação

Arthur também já deu vida à Frejat, em "Cazuza - Pro dia nascer feliz, o musical". Confira a entrevista com o ator!

Acesso Cultural: Você esteve em dois grandes musicais, interpretando pessoas muito queridas para o público. Como foi viver essa experiência?

Arthur Ienzura: Foi e está sendo muito gratificante. São dois ídolos meus da infância, então tem uma responsabilidade muito grande em ser eles no palco pra tantos outros fãs. 

AC: Os Mamonas Assassinas tem uma legião de fãs, apaixonados pelos integrantes, mesmo anos após sua morte. Qual foi a reação deles, após assistir o espetáculo?

AI: Eles gostam demais, as pessoas vêm agradecer dizendo "Acabei de assistir o show que eu nunca pude. Obrigado." Isso é impagável.

No início nós tínhamos medo de qual seria a reação deles. Fomos muito julgados na internet por muita gente que dizia que nós não merecíamos estar lá. O que eles não entendiam é que a gente não queria e não quer de forma alguma substituir eles. O nosso trabalho é fazer uma homenagem a eles e aos fãs.

Foto: Divulgação

AC: Como é lidar com o assédio das fãs? Qual a situação mais engraçada e inesperada que já te aconteceu? 

AI: Hahhaha. É tranquilo. Sempre engordando a gente, trazendo mimos. Sempre nas primeiras filas, cantando e isso é bom pra plateia também, que se solta mais vendo essas loucas se divertindo na plateia. Teve uma que pediu o meu pirulito na hora das fotos hahah. Ousada né?!

AC: Durante a primeira temporada paulista, você mudou pra São Paulo. Como foi trocar de cidade, ainda que por pouco tempo?

AI: Foi incrível. Sempre quis vir pra cá e ficar uma temporada aqui. Quando vinha era sempre num bate e volta corrido pra fazer audição e não conseguia aproveitar a cidade. Mas morar 6 meses aqui foi muito bom pra mim. Consegui em paralelo ao Mamonas levantar um outro espetáculo meu que se chama "Meu Nome é Ernesto!" e que foi um sucesso.

Não troco o Rio por nada, mas pode ter certeza que São Paulo tem um lugar mais do que especial no meu coração.

Foto: Divulgação

AC: O que você gosta de fazer nas horas vagas?

AI: Como todo bom carioca passo bastante tempo na praia. Agora que estamos em cartaz durante a semana, aproveito pra ir assistir peças nos finais de semana.

Relembre os bastidores do musical com o nosso baterista fodão:
Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário