News
Loading...

Resenha: Riverdance - As águas e a história de um povo

Por colaboradora Monise Rigamonti

O musical Riverdance teve sua estreia em Dublin em 1995. Circulou por mais de 40 países em todos os continentes do mundo e foi assistido por mais de 22 milhões de pessoas. A ideia original da peça surgiu em 1994, quando Moya Doherty idealizou a coreografia The River que fazia uma alusão a cultura celta, durou inicialmente sete minutos e foi apresentado na abertura do Festival Eurovision Song Contest, realizado em Dublin em 1994. No Brasil, fora apresentado em 2012 no espaço Via Funchal. Atualmente prossegue com turnês por países como Estados Unidos, Irlanda, Canadá, Suécia, Alemanha, Bélgica e outros. 

Reprodução / Internet

Para a produção do espetáculo estão envolvidas mais de 60 pessoas entre dançarinos, músicos e equipe de produção. As letras e músicas são compostas por Bill Whelan, a direção é de John McColgan e produção de Moya Doherty.

Riverdance está muito além de ser somente um musical de sapateado irlandês, ele percorre a vida de um rio e conta a história de um povo se reciclando e se fundindo com a cultura atual. Ao contemplarmos o musical, não devemos apreciá-lo somente como uma narrativa linear, mas pela maneira leve e encantadora de contar uma história nos proporciona uma sensação profunda das músicas e das danças dos povos antigos, especialmente dos povos celtas, onde os vestígios de sua cultura e espiritualidade ainda se fazem muito forte e presente dentro da Irlanda até hoje. 

Crédito: Official Site

Dentro da narrativa, especialmente na primeira parte são explorados alguns elementos e rituais com a Terra, o Sol, o Fogo e a Lua, remetendo a cultura celta e dos povos antigos como da Macedônia. Na segunda parte da história, percebemos a emigração das danças e das músicas juntando e se fundindo com as outras culturas, sejam elas europeias como o flamenco, sejam latinas como o sapateado americano. No final da narrativa há uma convergência e uma fusão destas culturas, proporcionando uma reciclagem e uma renovação, como diria um provérbio antigo: “nada se perde, tudo se transforma”. 

Percebemos de forma nítida a técnica dos bailarinos, mas o musical não nos fascina somente pela técnica e sim por um contexto geral de figurino, cenário, iluminação, e a forma como é contada as histórias do povo irlandês através das danças – sejam danças antigas como as danças de roda, sejam ela contemporâneas como o sapateado e o flamenco, com as canções onde percebemos a emoção dos atores, com músicas tocadas durante o espetáculo que nos transpõe para um outro estado de consciência, nos permitindo a viver a história que a narrativa propõe contar. 

Reprodução / Internet

Este musical nos toca e nos emociona de forma única, pois há uma sutileza e uma delicadeza, ao mesmo tempo que se traz uma força e uma determinação dos personagens, essa mistura e essa contraposição simplesmente nos deixa encantados e com um gosto de quero mais. Aperte o play e assista um trecho deste belo musical!


Ficha Técnica 
Título: Riverdance: The show 
Duração: 115 minutos
Ano de lançamento: 1996 
Direção: John McColgan
Elenco: Jean Butler, Colin Dunne, María Pagés, Katie McMahon, Morgan Crowle, Tarik Winston, Daniel B. Wooten, Eileen Ivers, Ivan Thomas e outros. 
Gênero: Musical, Dança Irlandesa, Sapateado 
Nacionalidade: Irlanda 
Página oficial: www.riverdance.com 
Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário