News
Loading...

Crítica: Lea Michele – Places

Por Erlanio Lima

Após três anos de seu álbum de estreia “Louder”, a atriz e cantora Lea Michele, retorna ao cenário musical com seu segundo disco de estúdio intitulado “Places”. O novo álbum que vem sendo trabalhado desde abril de 2015 traz uma Lea Michele diferente do álbum anterior, a própria cantora revelou em entrevistas que esse era o álbum que ela iria dedicar seu tempo e dedicação, que não se importava se as pessoas não fossem gostar, pois ela estava fazendo o que realmente gostava e queria entregar um ótimo trabalho para seus fãs.

Foto: Divulgação

O primeiro single “Love Is Alive” foi lançado em 3 de março de 2017, já anunciando o que poderíamos aguardar deste novo álbum, uma poderosa balada e com um vocal emocionante, fazendo com que a ansiedade e expectativas para essa nova era já se tornassem enormes. Lea também realizou uma mini turnê em divulgação do novo trabalho a “An Intimate Evening with Lea Michele”, com o total de três shows, nas cidades de Los Angeles, Nova York e Santa Monica, onde a cantora apresentou algumas músicas inéditas do seu novo disco, de forma intimista e simplista.

Love Is ALive - O álbum abre com esta poderosa balada, apenas piano e vocais poderosos de Lea, uma faixa bem trabalhada e que possui a personalidade da cantora, a canção vai crescendo em seu decorrer, tornando-se impossível não se viciar com este poderoso abre-alas para este álbum.

Heavy Love – Esta faixa já traz uma pegada mais pop e mid-tempo, a letra fala sobre um amor e o vicio que ele traz em sua vida, que mesmo sendo pesado você gosta de senti-lo.

Proud – Lea revelou em seu twitter que essa canção foi escrita para seus pais e se trata de deixar eles orgulhosos com seus feitos, pois eles acreditam nela e em seu potencial, outra faixa bem trabalhada, com violinos e vocais graciosos de Lea.

Believer - Outra canção mais voltada ao pop, porém, se trata de uma faixa com uma letra de autoajuda e de acreditar que tudo pode melhorar, com um refrão longo e poderoso, é uma canção tão gostosa de ouvir e capaz de despertar um sorriso no rosto por conta de sua letra.

Run To You - As letras desse álbum estão sensacionais e com esta faixa não é diferente, onde se trata em dar uma nova chance a um amor que parece estar desmoronando, mas que você ainda está disposto a consertar os erros e fazer tudo dar certo novamente e que irá correr pra essa pessoa se ela lhe chamar, mais um refrão poderoso e com uma pegada de produção acústica que traz uma incrível sensação ao ouvi-la.

Heavenly - Esta faixa traz  em sua composição o nome da cantora Ellie Goulding, até o momento uma das minhas faixas preferidas neste álbum, com um toque de canções anos 90, dá para assemelhar a algum trabalho de Celine Dion, pois é uma canção “diva”, a letra traz uma metáfora sobre um amor que no final das contas não te fez tão bem, mas você acha que precisa dele e o que ele te faz sentir é celestial. 

Anything’s Possible - É uma canção encorajadora, falando sobre acreditar que tudo é possível, onde você enfrentará todos os seus medos e limites de cabeça erguida, uma canção pop e mais animada, não acho que ela teria algo a ver com o Louder por conta do seu conceito, mas não me assustaria se essa faixa estivesse presente no seu trabalho anterior, porque se assemelha bastante a ele.

Getaway Car – Outra balada no piano traz um pouco do conceito sobre o álbum “Places”, a letra fala sobre a história de duas pessoas que já percorreram diversos lugares e possuem histórias, mas ainda no final das contas procuram um lugar só para eles. Esta canção tem uma versão no YouTube com um grande amigo de Lea, o cantor e ator Darren Criss, que trabalharam juntos no seriado Glee, seria pedir demais se tivesse vindo a versão estúdio com o vocal dos dois?

Sentimental Memories - Faça sobre um amor que deixou apenas as lembranças dos sentimentos que viveram, mas essa pessoa lhe feriu no final das contas por se declarar e fazê-la acreditar nesses sentimentos, para no fim ele ir embora e deixa-la sofrendo, a faixa traz um vocal mais grave de Lea, sem trabalhar muito nos agudos, deixando um aspecto de dor e raiva, outra balada no piano só que essa é pura “sofrência”.

Tornado – Esta canção se inicia com uma acapella de Lea, a faixa fala sobre agir com a intensidade lá em cima e sempre estar preparada em lidar com as coisas dessa forma, pois sempre se identificou dessa maneira, outra canção que cresce com o decorrer dela se tornando mais uma canção linda e forte. Lea também revelou que essa faixa foi inspirada na música “Skyscraper da cantora Demi Lovato.

Hey You - Preparados para chorar? A canção que fecha a versão standard de “Places” tem na composição a autoria da própria Lea, pois a faixa é em homenagem ao cantor, ator e ex-namorado Cory Monteith que faleceu em 2013 em decorrência de overdose. A canção é possui um instrumental simples, mas com uma letra tão emocionante que você claramente enxerga Lea cantando isso a Cory e se emociona ao lembrar o relacionamento dos dois, a cantora parece desabafar em dizer que sente sua falta, em como gostaria de consertar coisas do passado, principalmente em seus últimos momentos, que letra linda, com certeza é a mais bem trabalhada de todo o álbum e a mais pessoal.

Considerações finais - Diferente de tudo o que estamos acostumados atualmente, Lea traz nessas 11 faixas o oposto que o mercado musical tem nos proporcionado, desde o Tropical House, EDM, ou outras canções genéricas de fórmulas conhecidas e já saturadas para fazer sucesso. Enquanto Lea nos traz um poderoso álbum de baladas e vocais de grandiosas divas como Celine Dion e Barbra Streisand, infelizmente no cenário musical Lea não possui muita relevância, mas com Places isso pode mudar, não creio que o álbum irá vender milhões de cópias e ou fazer um sucesso estrondoso, mas pelo menos traz algo que estávamos sentindo falta como o amor sendo cantado em baladas simples com o mínimo de produção. Places é um álbum para amantes de boa música, de bons vocais e de se emocionar ao escutar uma canção. Esperamos que Lea saia em turnê com este álbum, algo que não fez com o Louder e por gentileza venha ao Brasil, pois precisamos ouvir essa magnitude ao vivo, Places é sem dúvidas um dos melhores trabalhos do ano lançados até o momento, você não pula uma faixa e deseja ao fim dele que não acabasse e tivesse muito mais músicas para se emocionar.


Nota: 10
Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário