News
Loading...

Marcos Caracho apresenta Bar do Jardim na Casa Cor São Paulo 2017

O arquiteto imprime originalidade ao apresentar materiais in natura com tecnologia industrial, em ambiente da maior mostra de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas

Por Redação

Estreante na mostra, o arquiteto Marcos Caracho demonstra que é possível harmonizar plástica e funcionalidade, deixando em evidência a simplicidade formal e o rigor geométrico na concepção do Bar do Jardim, na Casa Cor 2017, que ocorre entre os dias 23 e maio e 23 de julho, na capital paulista. De caráter contemporâneo, o ambiente propõe ainda um novo olhar para a arquitetura do local, o Jockey Club de São Paulo.

Foto: Denilson Machado

Com seu primeiro trabalho na Casa Cor, Caracho traz a bagagem de mais de 15 anos de atuação profissional, sendo suas principais características as soluções espaciais envolvendo tecnologias e materiais de forma contemporânea, e as intervenções coerentes com o modo de vida atual. Nos 200m² destinados ao Bar do Jardim não foi diferente: as condições do local, as necessidades funcionais e o uso da geometria purista e da tecnologia industrial foram os principais aspectos que nortearam a concepção do espaço.

A criação de pórticos de chapa metálica, por exemplo, reduzindo a altura do pé direito nas áreas de permanência, foi um dos recursos arquitetônicos aplicados. “Tal solução trouxe horizontalidade ao bar. Por outro lado, a altura original do edifício foi mantida, usando uma cortina de cordas como fechamento interno, que permite um jogo de luz e sombra bastante interessante”, explica o arquiteto.

Foto: Denilson Machado

O projeto revela, ainda, um cuidado com a transição de escalas, desde os enquadramentos do espaço externo – o Jardim Deca –, até o tratamento da escala íntima no percurso para o ambiente seguinte, possibilitando aos visitantes uma experiência lúdica com as obras de arte, que também fazem parte da linguagem geométrica presente no ambiente.

Outra marca do trabalho do arquiteto é o uso de materiais com acabamento natural, que revelam, por si, a tecnologia proveniente da indústria empregada em sua fabricação e instalação. Assim, o assoalho de madeira, as chapas dobradas de aço carbono, o brise de alumínio, as bases de concreto aparente não são elementos apenas decorativos, mas cumprem funções específicas no ambiente. A escolha dos móveis, de design italiano em tons monocromáticos, também reforça a opção pela simplicidade formal.

Atentando-se para a preservação do patrimônio arquitetônico do Jockey Club, Caracho utilizou piso de madeira de reflorestamento elevado, com estrutura independente, protegendo a integridade do piso original. O uso de estruturas auxiliares para fixação dos fechamentos e revestimentos propostos permitiu evitar perfurações e possíveis danos aos elementos existentes, tais como lajes, pilares e até mesmo as pastilhas originais do edifício.

Além da preocupação com o patrimônio, o arquiteto pensou também no atendimento ao visitante portador de necessidades especiais: o ambiente favorece a integração de assentos adaptados para diferentes usuários. Já a sustentabilidade se faz pelo uso consciente dos materiais (madeira de reflorestamento com certificação, vernizes e finalizadores à base d’água), aproveitamento de luz natural, com controle e filtragem por meio de persianas, e no uso de elementos fáceis de serem desmontados após o término da mostra.


Serviço
CASA COR São Paulo
Data: de 23 de maio a 23 de julho | Terça a domingo e feriados das 12h às 21h
Local: Jockey Clube de São Paulo - Av. Lineu de Paula Machado, 1075
Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário