News
Loading...

Livro traz peças inéditas e trajetória de escritora deixada de fora da ABL no século 19

Por Andréia Bueno

Nos 120 anos da Academia Brasileira de Letras e em uma época em que os debates sobre o papel da mulher na sociedade têm ganhado cada vez mais destaque, Michele Asmar Fanini lança o livro A (in)visibilidade de um legado: seleta de textos dramatúrgicos inéditos de Júlia Lopes de Almeida pela Intermeios, em coedição com a Fapesp. 

Foto: Reprodução / Google

A autora dá voz à vida e obra da escritora mais publicada no Brasil durante a Primeira República (1889-1930). Figura que compôs o grupo de idealizadores da ABL, fundada em 1897, mas não integrou a galeria dos imortais por ser mulher. A publicação traz informações biográficas e literárias sobre Júlia Lopes de Almeida (1862 – 1934), além de reunir seis textos dramatúrgicos inéditos. No livro, estão reunidas as peças O Caminho Do Céu, O Dinheiro Dos Outros, Vai Raiar O Sol, A Senhora Marquesa, A Última Entrevista e Laura.

Até a conclusão do livro, foram mais de 4 anos de intensa pesquisa que iniciou por meio de um estudo que tinha como objetivo falar sobre as mulheres e a Academia Brasileira de Letras. A intenção era reconstruir os bastidores do ingresso das escritoras que se elegeram e também os bastidores das "ausências institucionais" femininas. Durante os 80 primeiros anos de existência da ABL, as mulheres foram impossibilitadas de se candidatar.

“Júlia foi testemunha ocular e intérprete de momentos-chave da história do país. Seu despontar literário se deu na Campinas imperial, com uma crítica teatral publicada na Gazeta de Campinas e sua projeção como escritora teve como cenário o Rio de Janeiro da Primeira República. Sua obra aborda temas como a escravidão, a profissionalização e a educação femininas, a assimetria das relações de gênero, o preconceito de classe, traz críticas ao lucro exacerbado, às relações baseadas na aparência, à jogatina. Importantes ângulos dessa efervescência cultural, social e política estão contemplados em seus escritos”, diz Michele.

Capa do Livro - Foto: Divulgação

A orelha do livro é assinada por Marcos Antonio de Moraes e Ana Paula Cavalcanti Simioni (ambos docentes do IEB e supervisores da pesquisa) e o Prefácio foi escrito por Maria de Lourdes Eleutério, autora do livro Vidas de romance: as mulheres e o exercício de ler e escrever no entresséculo (1890-1930).

Serviço

A (in)visibilidade de um legado: seleta de textos dramatúrgicos inéditos de Júlia Lopes de Almeida é uma homenagem póstuma e um trabalho de resgate da memória cultural. A publicação tem 384 páginas e está disponível nas principais livrarias do país. 

Preço médio: R$ 55,00.
Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário