News
Loading...

5 curiosidades sobre Guillermo del Toro, diretor de A Forma da Água, que você precisa saber

Por Leina Mara

Amante do cinema fantástico, o cineasta mexicano Guillermo del Toro se tornou um dos grandes diretores da atualidade. Seu filme, A Forma da Água, é o grande destaque do Oscar 2018, tendo recebido 13 indicações. Em seu currículo o diretor tem filmes como "O Labirinto do Fauno", "The Hobbit", "Mama" e "A Colina Escarlate". Para você saber um pouco mais sobre Guillermo, listamos cinco curiosidades sobre o diretor que você precisa saber. 

Foto: Reuters

1- "A Noiva de Frankenstein" (1935), clássico de James Whale, é o seu filme preferido. Os monstros clássicos são um dos grandes amores de del Toro. Drácula, O Homem Invisível, o Homem Lobo e Frankenstein são personagens que marcaram o imaginário do diretor. 

2 - Guillermo contou em uma entrevista para o programa Fresh Air que sua avó, uma católica irredutível, o obrigava a autoflagelar-se quando criança. Ela também tentou praticar exorcismo várias vezes para que ele deixasse de desenhar monstros e para "curar seu persistente interesse em fantasia".

3 - Em seus filmes existem quatro elementos constantes: a religião, o humor negro, os insetos e os duendes.

4 - Em 2004 declinou a oferta de dirigir "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (no final, ficou encarregado de dirigir o filme, Alfonso Cuarón, outro diretor mexicano) para filmar um projeto que o entusiasmou por muito tempo: "Hellboy". Cinco anos depois voltou a recusar a sequência da saga, "Harry Potter e o Enigma do Príncipe", para dirigir "Hellboy e o Exército Dourado".

5 - A ideia de "A Forma da Água" surgiu quando Guillermo viu o clássico "El Monstruo de la Laguna Negra". O diretor de decepcionou quando o monstro e a mulher não ficaram juntos no final. Ele também confessou que escreveu a protagonista Elisa tendo a atriz Sally Hawkings em mente. Del Toro ficou fascinado com a interpretação de Sally na série britânica "Fingersmith".
Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário