Entrevista Projeto #Elenco60: Fernanda Biancamanno - Acesso Cultural - Arte, Cultura Pop e Entretenimento
News
Loading...

Entrevista Projeto #Elenco60: Fernanda Biancamanno

Conheça um pouco mais do elenco do musical 60!, Década de Arromba - Doc. Musical, através de entrevistas semanais. Esta semana, saiba mais sobre atriz e cantora Fernanda Biancamanno

Divulgação/60! Doc. Musical – Caio Gallucci

Por Leina Mara

Após uma temporada de sucesso no Rio de Janeiro e São Paulo, "60! Década de Arromba - Doc.Musical volta ao Theatro NET Rio para uma curta temporada! Estrelado pela representante maior da Jovem Guarda, a cantora Wanderléa, o espetáculo é dirigido por Frederico Reder, com roteiro e pesquisa de Marcos Nauer. 

"60! Década de Arromba - Doc. Musical" utiliza ferramentas de documentário (fotos, vídeos e depoimentos reais), somadas a cenas, textos e canções apresentadas ao vivo por 24 atores/cantores /bailarinos para contar a história da década de 1960.

No intuito de continuar apresentando ao público um pouco mais sobre o elenco, voltamos com o projeto #Elenco60 divulgaremos um especial semanal de entrevistas com os atores. Esta semana o AC entrevista com atriz e cantora Fernanda Biancamanno.

Foto/Divulgação

Conte-nos um pouco mais sobre sua carreira e trajetória no teatro musical?

Comecei no mundo das artes aos 8 anos protagonizando um espetáculo infantil chamado “Libel e seu Palhacinho” com mais dois adultos que ficaria em cartaz por 3 anos viajando pelo Brasil. Sem nunca ter feito teatro fui descobrindo como jogar e literalmente brincava em cena! Depois fui me aperfeiçoando com cursos e mais teatro. Um dado importante e que foi um grande divisor de águas na minha carreira, já muito cedo, foi um trabalho em 2001, quando assinei contrato com a globo para ser a Narizinho do Sítio, mas mesmo com toda mídia, e tudo pronto, 5 dias antes das gravações fui dispensada por estar crescendo rápido demais! 

Com 11 anos, percebi que o mundo das artes não seria assim tão fácil, e lembro de pensar que não iria desistir do meu sonho por uma queda, hoje em dia acho importante ter acontecido cedo, para levar o trabalho a sério, entender que nem sempre ser talentoso, ou estudar muito é tudo, existe sim perfil e tudo bem! Passei a olhar cada trabalho de maneira bem mais profissional e perceber que algumas decisões dependem de muitos fatores, aprendi e cresci muito rápido por conta dessa experiência! Esse afastamento da TV me abriu a chance de começar a explorar ainda mais o teatro musical, que estava crescendo no Brasil.

Me aventurei por muitos musicais infantis e alguns adultos, uma coisa foi ligando a outra e acabei fazendo novela, comerciais, participações, uma série no Multishow, participei do prêmio Multishow de humor e por último (2015) o meu primeiro longa ( chamado “Tô Ricah”) dividindo cena com Marília Pêra ! Sempre estive dividida entre tv e teatro, desde pequena. De lá até aqui são 20 anos de carreira e entre 15 a 20 peças .

Em 2016 fui convidada pelo diretor de uma novela que eu fiz pra protagonizar o principal show do Natal Luz de Gramado, me mudei para o sul pra viver Maria de Nazaré num musical chamado "Eu Sou Maria", onde compunham elenco e orquestra com 200 artistas e uma público diário de 6 a 8 mil pessoas. O musical era encenado em cima de um lago com dança das águas, fogos de artifício, fogo, tinha de tudo um pouco e foi uma experiência incrível! 

Como Protagonista do musical “Eu Sou Maria” no Natal Luz de Gramado

Que artistas te inspiraram a seguir a carreira de atriz? Existe algum papel que ainda almeja interpretar? 

A primeira peça que eu fiz, e que mencionei ter ficado anos em cartaz, era muitas vezes ensaiada na casa de ninguém menos que Bibi Ferreira, a Tina, filha dela, era nossa supervisora. Por algumas vezes vi, ainda muito menina a própria Bibi tocar piano em sua sala e ensaiar para shows, lembro de ficar encantada e perceber que eu gostaria muito de ser um dia como ela. Lembro bem que assim que cheguei no apartamento dela, no primeiro dia de ensaio e leitura, eu comecei a ler e cantar as músicas da peça ( já era um musical) ela saiu lá de dentro e perguntou quem era a menina que estava falando e cantando, eu acenei com as mãos e ela veio em minha direção, sentou no sofá e disse: "Menina, você tem muito futuro, que voz linda tem! Olha, pra continuar nessa carreira, as vezes não encontramos caminhos fáceis, mas com muito estudo, dedicação e cuidados com o corpo e voz, você ainda vai longe".

Lembro de ficar pensativa e guardar bem as dicas sobre não tomar gelado uma hora antes e depois das peças e andar sempre com um lenço pra proteger o pescoço. Depois de alguns anos fui ter a dimensão dessas dicas e do gênio que é Bibi, da grande oportunidade de receber pessoalmente sábios conselhos quando ainda era uma menina. Bibi é uma grande inspiração! Existem muitas artistas incríveis no nosso cenário, amo a Alessandra Maestrini pois além de cantora é uma atriz Maravilhosa, tem uma ótima veia cômica que eu por diversas vezes também exploro. 


Como Narizinho do Sítio do Pica-Pau Amarelo da Rede Globo

Como foi o seu processo para 60! Década de Arromba - Doc. Musical?

Fiz a audição pro 60, passei! mas o resultado só saiu quando eu já estava de passagem comprada e contrato assinado pra mais um ano  de "Eu sou Maria". Entrei naquele conflito pois queria muito participar e fazer o musical com a Wandeca!  Mas com tudo fechado e mudanças prontas pro sul, ficaria inviável largar tudo.  Avisei aos queridos produtores que o musical só ficaria em cartaz por três meses, então assim que acabasse esse período, estaria disponível caso alguém do elenco saísse pra temporada de SP.

E foi o que aconteceu. A Jullie ( que fez parte a primeira formação de elenco e foi extremamente gentil e carinhosa ao passar todo o aprendizado da oficina que elas tiveram de corpo de boneca, além de me facilitar a vida separando material de estudo de vozes, perucas, trocas rápidas, realmente ajudou muito) acabou saindo  e fui chamada pra integrar o time do 60, assumindo os números que ela fazia, e como eu também sapateio, o Victor, nosso coreógrafo, acabou me colocando em outros números de dança.

Assisti a peça durante um mês todos os finais de semana e ensaiei  pra pegar a peça em uma semana apenas. Foi um grande desafio pegar tanta coisa em pouco tempo mas no final deu tudo certo e estreei na temporada de SP. Então está sendo incrível estar de volta ao Rio porque pra mim é realmente casa nova! Fui criando e dando a  minha cara as personagens que já existiam! Estou extremamente feliz e grata por ter conseguido voltar para o time e dividir o palco com tantos artistas incríveis, é maravilhoso, que elenco afinado, além de tudo somos muito amigos e realmente vivemos o tempo do amor entre nós!

Como Esmeralda no musical infantil “O Corcunda de Notre Dame” ao lado do ator Felipe Simas

Qual sua parte favorita no musical? Por que? 

É muito difícil escolher somente um momento, já que a peça tem 3 horas e muitos números, particularmente eu gosto muitos dos que faço, mas se pudesse escolher algum, seria o Medley 60, onde estão todos os talentos juntos no palco, fazemos uma grande festa de arromba e brincamos com a Wanderléa em cena!


         Em seu solo como “Barbie” em 60! Década de Arromba Doc. Musical | Foto: Julio Leão

Quais seus planos futuros?

Eu aprendi durante esses 20 anos de carreira, que o que podemos fazer é sempre estudar muito e correr atrás das oportunidades que a vida nos apresentar. Nem sempre nossos planos saem exatamente como planejado, mas se tenho uma certeza na vida é de que tudo tem o seu tempo determinado, e que toda experiência é para o crescimento pessoal! Pretendo terminar minha faculdade de pedagogia e quero continuar explorando o mundo dos musicais mas também permitir permear outros meios, como tenho feito! 

Em seu solo “A Lua É Dos Namorados” em “60! Década De Arromba” - Foto: Julio Leão





Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário