News
Loading...

Miguel Falabella recebe Justa homenagem no Carnaval 2018

Por Nicole Gomez

O multitalentoso Miguel Falabella foi o homenageado da escola de samba carioca Unidos da Tijuca, no Carnaval 2018. O samba-enredo, intitulado Um Coração Urbano: Miguel, O Arcanjo Das Artes, Saúda O Povo E Pede Passagem fez uma retrospectiva da vida e obra do artista, indo desde sua infância, seu gosto pelos livros e pela escrita, até seus trabalhos de grande sucesso na televisão e no teatro.

Foto: Divulgação

Para abrir o desfile, a comissão de frente “O Teatro é a Minha Religião”, foi uma menção ao teatro, onde Miguel se consagrou e é consagrado até hoje com grandes espetáculos em seu currículo. Com direito a coreografia e um palco no meio do sambódromo, a comissão de frente contou até com Miguel Arcanjo, de quem Falabella é devoto.

A primeira ala, “O pequeno Príncipe em seu Reino das Águas Claras”, trouxe um pouco sobre a relação de Miguel Falabella, que veio da Ilha do Governador, com o mar. Alegorias que remetiam aos elementos das águas, como a própria água viva, chegaram com muitas cores, luzes, e interação com a plateia. A ala também representou o tempo em que Falabella atuava nas peças de teatro e precisava atravessar o mar para chegar onde estudava. Propositalmente, a ala chegou com uma estética até infantil, para justamente representar a infância do artista.

As alas “Abram as Cortinas!”, “O Dragão Verde” e “A Menina e o Vento” vieram trazendo referências dos trabalhos de Falabella e sua paixão pelos palcos. Em “A Menina e o Vento”, Miguel conheceu Marília Pêra, que o dirigiu no espetáculo. 

Em seguida, a ala “Tribobó City” retratou o interesse de Falabella pela direção, e o início desse marco em sua carreira. Com cores mais quentes, voltadas para o marrom e o vermelho, além do tradicional dourado, ela antecedeu o carro “Espelho de Clara Sabedoria”, em homenagem à base teatral de Miguel, onde tinha aulas com Maria Clara Machado. O carro contou com as máscaras da comédia e da tragédia que são símbolos do teatro. 

Marisa Orth - Foto: Divulgação

As próximas alas fizeram referência à literatura, sempre tão presente na vida de Miguel Falabella. O artista teve alguns livros publicados, além de uma coluna onde Falabella escrevia. Referências ao tempo foram inseridas neste contexto. 

A Ala das Baianas trouxe referência às Noivas de Copacabana, minissérie de 1992. Na Ala das Passistas, uma homenagem a Salsa e Merengue, primeira novela escrita por Miguel. A Rainha de bateria Juliana Alves puxou a ala, que veio repleta de fantasias de Caco Antibes, além da ilustre presença de Marisa Orth como Madrinha de Bateria, caracterizada como Magda, do épico “Sai de Baixo”. 

O carro “A Máquina de Fazer Doido” veio com os trabalhos de Miguel Falabella na Rede Globo, alguns como o Vídeo Show, onde, por quinze anos, apresentou o vespertino sozinho. Toma Lá, Dá Cá também não ficou de fora, contando com a presença de Alessandra Maestrini como Bozena, um marco de sua carreira. A apresentadora Cissa Guimarães também participou do desfile. Sai de Baixo também foi relembrado. Como referência a Pé na Cova, alguns caixões com homens dentro, se abriam e fechavam no ritmo do enredo. 

Os musicais Hairspray e O Homem de La Mancha, dirigidos por Falabella, foram homenageados, entre outros. A ala Cabaré, musical estrelado por Claudia Raia, contou com a presença da própria atriz em cima do carro, que veio todo estilizado em aranhas e algumas teias em volta. 

Foto: Divulgação

O último carro, Embarque Na Fantasia, veio com o homenageado da noite, Miguel Falabella, como O Arcanjo, vestido em tons de dourado e azul. Seus convidados vieram acompanhando o artista, todos obrigatoriamente fantasiados, um pedido de Falabella. 

Confira a letra do samba-enredo em homenagem a Miguel Falabella, uma composição de Totonho, Mart’Nália, Dudu, Marcelinho Moreira e Fadico:

Coração Urbano: Miguel, O Arcanjo Das Artes, Saúda O Povo E Pede Passagem

O povo do samba chamou
E fez de você um poema de amor
Na minha bandeira azul e amarela
Mais uma estrela Miguel Falabella

O povo do samba chamou
E fez de você um poema de amor
Na minha bandeira azul e amarela
Mais uma estrela Miguel Falabella

O grande espetáculo vai começar
Prepare o seu coração
Na ilha encantada a lembrança
No reino dos mares, a inspiração
Um príncipe, um sonhador
Gênio das artes, seu grande amor
Espelho de “clara” sabedoria
A escrita lhe fascinou
Fez do tablado a sua vida
Arcanjo do riso, poeta do humor

Quando a luz acender, o céu clarear
O morro descer pra vê-lo brilhar
Quantas emoções a proporcionar
Oh mestre da arte de contracenar

É lindo ver seu brilhantismo em tantas criações
Roteiros, personagens, portal de grandes tentações
O carnaval, um “toma lá dá cá” de gente bamba
Que tira o “pé na cova” quando samba
Partilha essa alegria na Sapucaí
“sai de baixo” chegou a hora é a vez do povo do Borel
Em forma de samba, a nossa homenagem à você Miguel
Tijuca escola de vida, és minha paixão
As lágrimas de outrora já não rolam mais
Se rolarem é de emoção!

O povo do samba chamou
E fez de você um poema de amor
Na minha bandeira azul e amarela
Mais uma estrela Miguel Falabella

Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário