News
Loading...

Resenha: Jogador Nº 1

Por colaborador Jurandir Vicari

O Acesso Cultural esteve presente no lançamento de Jogador N. 1 e a imersão foi total !!! Realmente a ambientação fez com que nos sentíssemos no filme. A sala do Cinépolis localizada no Shopping Jk Iguatemi foi decorada com o tema do filme. E agora vamos contar tudo sobre o longa para vocês.

Foto: Divulgação

O filme é baseado no livro homônimo, escrito por Ernest Cline, editado no Brasil pela Casa da Palavra, que ao que tudo indica ser uma obra direcionada aos "gamers" de plantão, mas na verdade é recheado de cultura pop em geral.

A direção é do especialista em blockbuster, Steven Spielberg, que alterna com filmes mais "cults" como: A Lista de Schindler e o recente The Post, com E.T. - O Extraterrestre, Jurassic Park e Indiana Jones, mas claro todos com muito sucesso de critica e público.

O enredo se passa em 2045, onde a miséria assola o mundo e a única válvula de escape é se aventurar no jogo OASIS, um jogo de realidade virtual. Mas a grande "jogada" é que seu criador morreu e deixou seu testamento no jogo. Quem conseguir encontrar o Easter Egg, ganhará o controle do mesmo e ainda uma soma impressionante de dinheiro. E claro todos querem essa oportunidade, mas claro que o jogador número 1 se destacará. 

O protagonista Tye Sheridan, o novo Ciclope dos X-Men, interpreta Wadde Watts, órfão criado pela tia, um garoto comum, mas grande fã do criador de Oasis, James Halliday, adotando o nome de Parzival, uma referência a Percival, o cavaleiro da Távola Redonda que procurava o Santo Graal, que com a ajuda de seus amigos fazem todo o esforço para finalizar o jogo.

Capa: Divulgação

O Universo do game é de nos deixar de queixo caído ! As imagens são impactantes e repletas de referências pop, atraindo fãs de games em geral, mas também de cinéfilos e fãs dos anos 80, abrangendo bastante o público alvo. Afinal, no jogo podemos ser quem quisermos.

O roteiro é previsível. É o clássico "Jornada do Herói", com pitadas de representatividade, um romance com pouca química, mas muita ação e diversão, recheada de toneladas e toneladas de "easter eggs", ou seja referências a cultura pop.

Ao nosso ver o filme atinge seu objetivo também de em tempos de cara no celular, refletimos sobre se é melhor vivermos o virtual ou o real. O longa será lançado no Brasil, em 29 de março. Corra para garantir o seu lugar. Aperte o play e confira o que vem por aí!



Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário